Serviços de saúde com zero discriminação é tema de seminário do Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo.

zero discriminacao

Nessa semana o Programa Estadual de DST/AIDS realizou na Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, o Seminário Zero Discriminação em atenção ás violências vivenciadas cotidianamente pelas pessoas vivendo com aids.

Uma das discussões que compõe o repertório do evento é a manutenção do status-quo, reunindo o estigma e discriminação da população negra, para além da pobreza e a luta de classes, com o denso impacto do racismo, por exemplo, na saúde pública, que é considerada direito de todos, mas com grandes impeditivos no que diz respeito ao acesso a bens, recursos e serviços.

Para Celso Ricardo Monteiro, da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo “a teoria já produziu conhecimento suficiente para que seja abandonada visão de mundo eurocêntrica que a ciência ajudou a reproduzir, valorizando a cultura e os corpos de um povo em detrimento de outro. Agora, temos inclusive mecanismos de defesa e orientações de toda ordem, que nós mesmos ajudamos a construir, para reagir a esse fenômeno fantástico. É hora, portanto, de ação, de fato e nãomais de direito”.

Confira aqui, a matéria da Agência de Notícias da AIDS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s